. O Museu da Cidade tem a ideia de contar, em uma linha do tempo, como a cidade foi criada a partir de um intenso fluxo migratório e como foi forjada a partir do ideal simbólico dos seus nativos que em interação com os imigrantes formaram o que hoje é acidade de Manaus.

. O curador dessa exposição é Marcello Dantas, que também assina o projeto do Museu da Língua Portuguesa. Em entrevista à Veja, ele analisa o atual movimento de museus como concretizações a partir de manifestações “que acontecem de forma oral, visual ou tátil”.

. “(Os museus de identidade) não expõem algo colecionável, mas cultura imaterial, muitas vezes ligada à identidade de um povo ou um grupo. É um tipo de museu capaz de olhar para a cultura viva e mostrá-la às pessoas”, explica. Dantas, que acaba de ser escolhido como curador de arte do Aeroporto de La Guardia, em Nova York, explica ainda que mais de 1 mil museus foram criados na China nos últimos 20 anos. “Ali houve ditadura, revolução cultural, cinqüenta anos de ostracismo e renascimento econômico. Os museus de agora são uma forma de o chinês enxergar como ele realmente é depois das mudanças. Isso também acontece em países como Argentina, Colômbia e México”, afirma à revista.