sábado, maio 18, 2024

Vacinação contra Covid-19 em Manaus retorna nesta quinta e sexta-feira em 75 unidades

Após o feriadão do carnaval, a Prefeitura volta a ofertar as vacinas contra a Covid-19 nesta quinta e sexta-feira, 23 a 24/2, em 75 estabelecimentos de saúde distribuídos em todas as zonas geográficas da capital.  Para ampliar o acesso aos imunizantes, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) organizou a vacinação em unidades que funcionam, durante a semana, no horário regular, das 8h às 16h, e também nas de horário ampliado, que atendem até as 20h. A população pode conferir os endereços e horários de funcionamento no site da semsa.manaus.am.gov.br, pelo link, e também nas redes sociais da secretaaria.

A secretária municipal de Saúde, Shádia Fraxe, comentou que o mês de fevereiro é simbólico, uma vez que há três anos, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarava emergência global por causa da Covid-19, uma doença que marcou profundamente a história da humanidade e contra a qual a ciência lutou bravamente, até chegar a produção de vacinas, uma vitória que precisa ser reconhecida por meio do seu uso.

“Chegamos até aqui comemorando a vida graças aos imunizantes. E por isso precisamos manter a vigilância e continuar atualizando o esquema vacinal contra a Covid-19. É importante esclarecer que a cada dose tomada, a imunidade aumenta. Há uma ‘memoria’ ativada pela vacina que faz o organismo produzir mais anticorpos. Por isso, apelamos sempre para que a população valorize esse avanço e se vacine em um dos mais de 70 pontos de vacinação”, ressaltou.

A população pode tomar a 1ª, 2ª, 3ª e 4ª doses conforme o esquema vacinal individual, que pode ser consultado na plataforma Imuniza Manaus (imuniza.manaus.am.gov.br) inserindo o número do CPF. A quinta dose está liberada para pessoas imunossuprimidas a partir dos 18 anos que tomaram a quarta dose há quatro meses ou mais tempo.

Uma das novidades mais recentes da campanha de vacinação contra a Covid-19 é a incorporação da vacina bivalente ao esquema vacinal dos idosos a partir dos 60 anos, puérperas, gestantes e pessoas com doenças imunossupressoras, indígenas, quilombolas, ribeirinhos, residentes e trabalhadores em instituição de longa permanência que já tenham tomado a segunda dose das vacinas monovalentes ou qualquer dose reforço há, pelo menos, quatro meses.

Como o próprio nome indica, a  particularidade deste imunobiológico é sua atuação na produção de anticorpos para duas cepas: a cepa original do coronavírus e uma proteção específica para as variantes da ômicron.

“Mas é muito importante explicar que as outras vacinas são tão importantes quanto a bivalente. Prova disso é que hoje mesmo com a circulação dessas variantes novas, as hospitalizações por casos graves tiveram uma redução significativa, comprovando a eficácia das vacinas monovalentes”, assegurou Shádia.

Proteção infantil

A Semsa informa que, do total de 75 pontos de vacinação, 35 pontos são direcionados ao público infantil, de 5 a 11 anos. As crianças podem iniciar o seu esquema vacinal com a Pfizer pediátrica, que compreende duas doses, e também podem receber a dose de reforço.

As crianças de  6 meses a 4 anos de idade estão sendo protegidas com a Pfizer Baby, que compreende o esquema inicial de três doses.

Para evitar o desperdício de doses a oferta desses dois imunizantes está concentrada em 14 unidades básicas.

Para receber a vacina, os usuários precisam apresentar documento de identidade ou certidão de nascimento, CPF ou Cartão Nacional de Saúde (CNS) e também o cartão de vacina. No caso de crianças e adolescentes é necessário o acompanhamento de um adulto responsável.

Matérias Relacionadas

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidade

Últimas Notícias