sábado, maio 18, 2024

Desfile de moda indígena destaca arte originária no Centro Cultural dos Povos da Amazônia

 

No mês dos povos indígenas, com seu ápice no dia 19 de abril, dia do indígena, a Fundação Estadual do Índio (FEI), em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, realizou nesse último sábado (15/04), o primeiro desfile de moda e grafismos indígenas, com o objetivo de expor a tendência da moda originária raiz ao público, em evento no Centro Cultural dos Povos da Amazônia, localizado na avenida Silves, Crespo, zona sul de Manaus.

Com a produção de Shirley Baré, as peças de roupas foram fabricadas pelo Ateliê Derequine e Yra Tikuna Moda Raiz. Foram cinco modelos das etnias Sateré-Mawé, Tariana, Dessana, Tukano e Witoto.

Além do trabalho de moda em roupas, existe também o trabalho de grafismos, que tem significados particulares para cada etnia indígena. A coordenadora do Ateliê Derequine, Vanda Witoto, compreende o valor em expor a história de vários povos originários, por meio das vestimentas e do trabalho visual, para o público em geral.

“O trabalho que nós, mulheres, estamos fazendo com a moda indígena, através das nossas peças, é trazer a nossa memória, a nossa identidade, a forma que a gente encontrou de comunicar a nossa própria existência”, ressalta Vanda.

A coordenadora acrescenta que Ateliê Derequine traz nos grafismos a representação da cultura e elementos sagrados dos territórios indígenas, que os conecta com as suas memórias ancestrais e os traz pertencimento.

Reiterando a sua participação em contribuir com as comunidades indígenas, o técnico da FEI, Ricardo Peiguete, destaca o desfile como uma oportunidade para incentivar a produção cultural e artística do trabalho realizado pelos povos tradicionais.

“O desfile visa ser uma das atividades alusivas ao dia dos povos originários, com intuito de estimular o reconhecimento e a valorização da cultura indígena, fortalecendo sua identidade cultural e promovendo a sua sustentabilidade econômica”, afirmou.

O diretor-presidente da FEI, Sinésio Trovão, afirma que a moda é um espaço relevante para posicionar o trabalho artesanal de vestuário e grafismos indígenas.

“A Fundação quer valorizar as nossas parentes, que realizam um trabalho muito bonito com as nossas culturas e tradições através das vestimentas indígenas. Queremos que isso vire um forte produto no mercado de moda, porque ele é único”, comentou.

Para o secretário de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz, promover o evento no centro cultural do estado é criar possibilidades de acesso à cultura e à arte indígena. “O centro cultural Povos da Amazônia é uma referência no estado, traz muito das nossas raízes. E quando abrimos o espaço para manifestações artísticas dos povos originários, reforçamos a sua importância no contexto histórico e social”, disse o secretário.

Feira de Artesanato

Paralelo ao desfile neste sábado, o Centro Cultural dos Povos da Amazônia também recebe a feira de artesanato indígena, promovida pela Fundação Estadual do Índio. Entre os dias 11 e 19 de abril, 15 artesãos expõem e vendem suas obras como parte da programação especial do mês indígena, das 9h às 15h, de segunda-feira a sábado.

Foto: Matheus Mota/FEI

Matérias Relacionadas

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidade

Últimas Notícias