quarta-feira, junho 12, 2024

Manaus é líder da região Norte em investimentos em saneamento básico

Nos 1.000 dias de gestão do prefeito David Almeida, Manaus se tornou a capital do Norte do país que mais promoveu investimentos no âmbito do saneamento básico. A informação foi confirmada pelo Instituto Trata Brasil, por meio da pesquisa ‘Ranking do Saneamento 2023’, publicada em março deste ano.

O cenário é resultante de um investimento de quase R$ 1 bilhão em ações de melhoria e expansão dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário, assegurados pela concessão pública, firmada pela Prefeitura de Manaus com a empresa Águas de Manaus.

Atualmente, o serviço de abastecimento de água na capital se encontra universalizado, com mais de 99% da população atendida com água tratada e encanada. São mais de dois milhões de habitantes recebendo água de qualidade. Já a cobertura de esgotamento sanitário avançou 40%, estando hoje em 26%, representando 630 mil pessoas beneficiadas com os serviços de coleta e tratamento dos dejetos domésticos.

Avanço histórico

Os investimentos, segundo destacou o estudo do instituto, possibilitaram que a cidade de Manaus obtivesse um avanço de 15 posições no Ranking do Saneamento, saindo da colocação 98 para a 83.

Áreas como as comunidades Itaporanga, Ismail Aziz, das Flores e José Bonifácio, na zona Norte; Coliseu, na zona Leste; e o beco Nonato, na zona Sul, foram algumas das localidades contempladas com o abastecimento regular de água tratada, mesmo com moradias em difícil acesso.

“Desde quando a gente chegou aqui, ainda em 2017, para ter água tinha que ir buscar lá na cacimba, depois a gente tinha uma mangueira que vinha do poço, mas ele era clandestino. Foi muito difícil, mas agora a situação está bem melhor, depois que passamos a contar com a água da concessionária”, afirmou a doméstica Nete Mota, moradora da comunidade das Flores, onde cem famílias foram beneficiadas com as melhorias no abastecimento de água.

Outras 20 localidades estão sendo alvo de estudo, por parte da Águas de Manaus, para que sejam realizados projetos de infraestrutura, visando a melhoria do serviço de abastecimento.

“Esse é o resultado de um investimento feito com seriedade, sem desperdício de recursos. Manaus tinha um problema histórico de distribuição de água tratada. Diversos prefeitos passaram e não conseguiram resolver e a nossa gestão está dando um fim de uma vez por todas nesse problema”, afirmou o prefeito David Almeida.

Água universalizada

No total, mais de 85 localidades receberam ações de melhoria e de implantação, beneficiando diretamente 200 mil pessoas com serviços de abastecimento de água, famílias que antes só tinham água em casa por algumas horas do dia e eram abastecidas por meio de poços comunitários ou clandestinos, cuja qualidade da água era de origem duvidosa, sem atender aos padrões de qualidade.

No esgotamento sanitário, o serviço já está disponível para mais de 26% da população, com mais de 75 áreas atendidas e as metas para a ampliação da cobertura são ousadas, com estimativa de chegar a 38% já a partir de 2024.

“Aumentar esse percentual visa muito mais do que estabelecer o cumprimento do Marco Legal do Saneamento, o qual prevê 90% até 2033 ou simplesmente assegurar cláusulas contratuais. Ampliar a oferta do esgotamento sanitário em Manaus é um compromisso pessoal do prefeito David Almeida com a saúde e o bem-estar de gerações futuras de nossa cidade e é nessa direção que estamos trabalhando”, afirmou o diretor-presidente da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman), Elson Andrade Ferreira Júnior.

O grande diferencial na oferta desses serviços tem sido o atendimento das áreas vulneráveis da cidade. “Foi uma determinação do prefeito David Almeida que nós direcionássemos os investimentos e as ações da concessionária, também para as comunidades mais afastadas. E, desde então, passamos a trabalhar de forma mais assertiva nessas localidades, como também nos becos e nas áreas de igarapé, nas palafitas”, complementou Elson.

Coleta de esgoto

No beco Nonato, além da melhoria no abastecimento de água, 900 pessoas foram beneficiadas com o serviço de coleta de esgoto. As famílias agora não despejam mais os dejetos diretamente no igarapé que passa embaixo das casas. Uma rede coletora aérea foi desenvolvida para atender as necessidades da localidade. A iniciativa foi reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU).

“A primeira coisa que percebemos foi a redução significativa do mau cheiro. No começo, quando um morador não concordava com o serviço, mas ao ver que em outras áreas a obra estava acabando com o fedor, ele rapidamente autorizava a interligação do vaso sanitário da casa dele com a nova rede de esgoto construída pela concessionária. Até os casos de diarreia e dor de barriga diminuíram entre os moradores, principalmente, com as crianças”, disse Gisele Dantas, moradora do beco Nonato há mais de 40 anos.

O projeto pioneiro que levou redes de esgoto ao local tem continuidade com a instalação de redes de esgotamento sanitário em outras áreas de palafitas como os becos União e Ayrão, também no bairro Cachoeirinha, na zona Sul de Manaus.

Matérias Relacionadas

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidade

Últimas Notícias