segunda-feira, abril 22, 2024

Manaus é capital com menor percentual de adultos fumantes, destaca pesquisa nacional

Manaus se destaca como a capital brasileira com o menor percentual de adultos fumantes, estimado em 4,8%, segundo dados de pesquisa nacional do Ministério da Saúde, divulgada no último mês. O resultado positivo reflete, em parte, as ações desenvolvidas pela Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), para sensibilização da população acerca de fatores prejudiciais à saúde e para estímulo à adoção de estilos de vida saudáveis.

No estudo do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), realizado no primeiro semestre de 2023, Manaus figura com um percentual de fumantes mais baixo que os de Palmas (5,5%), São Paulo (10,3%) e Porto Alegre (13,8%), esta com o maior índice entre as capitais.

A secretária municipal de Saúde, Shádia Fraxe, atribui o bom resultado à efetividade das ações desenvolvidas pela Semsa Manaus para a promoção da saúde, prevenção e tratamento do tabagismo e da dependência à nicotina, desde 2008, quando foi implementado o Programa Municipal de Controle do Tabagismo.

“É um compromisso da gestão municipal fortalecer as estratégias de promoção da saúde, entre elas o reforço dos serviços de tratamento especializado para fumantes. Neste ano, nós ampliamos para 28 os ambulatórios de tabagismo nas unidades de saúde”, informou a secretária.

O programa de tratamento de fumantes da Semsa é desenvolvido pelo Núcleo de Prevenção de Riscos à Saúde por Causas Externas e Fatores de Risco da Semsa, por meio da Gerência de Promoção à Saúde. Os ambulatórios do serviço ofertam estratégias para auxiliar os usuários a abandonar o vício e a adotar hábitos de vida mais saudáveis.

Conforme a chefe do Núcleo de Prevenção de Riscos à Saúde, Carla Azevedo, após um período de suspensão como medida de segurança, durante a pandemia, os 24 ambulatórios da Semsa retomaram as atividades em maio do ano passado. Até dezembro seguinte, foram atendidos na rede 104 usuários em primeira avaliação clínica, dos quais 39 conseguiram abandonar o fumo com sucesso, sem recaídas.

“Até agosto deste ano, já com 28 ambulatórios, 133 pacientes foram atendidos na primeira consulta de avaliação clínica, demonstrando um aumento significativo na demanda por nossos serviços. Desses pacientes, 55 tiveram êxito na jornada para deixar de fumar”, relata.

Os usuários recebidos nos ambulatórios, explica Carla, passam por avaliação multidisciplinar e são encaminhados para sessões de terapia, em um grupo de fumantes ou individualmente. O tratamento inicial abrange quatro sessões semanais, com orientações, palestras e atividades práticas.

Pesquisa

Na pesquisa Vigitel 2023, dentre as estimativas de indicadores para este ano, Manaus tem percentual estimado de 4,8% pessoas maiores de 18 anos fumantes, próximo de cidades como Aracaju (5,6%) e São Luís (5,8%), e distante de Florianópolis (13,7%) e Campo Grande (12,5%), entre outras.

No conjunto das capitais, o percentual estimado é de 9,3%. Os percentuais de fumantes adultos por sexo também são mais baixos na capital amazonense, sendo de 7,9% entre os homens, e de 1,8 entre as mulheres.

Realizada desde 2006, a pesquisa Vigitel Brasil traz dados sobre fatores de risco e proteção para doenças crônicas, com estimativas de frequência e distribuição demográfica nas capitais dos 26 estados e no Distrito Federal. A edição de 2023 abrangeu 21.690 entrevistas, sendo 10.858 por meio de telefones fixos e 10.832 por telefones móveis.

Fator de risco

O tabagismo e a exposição passiva ao tabaco são fatores de risco significativos para uma série de doenças crônicas, dentre elas câncer, doenças pulmonares e doenças cardiovasculares, o que coloca o uso do tabaco líder global entre as causas de mortes evitáveis em todo o mundo, conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Em Manaus, a Semsa passou a oferecer o serviço de tratamento ao fumante em 2008, após a implementação do Programa Municipal de  Controle do Tabagismo. O serviço abrange hoje 28 Ambulatórios de Tratamento de Fumantes nas unidades do Sistema Único de Saúde (SUS), com a proposta de promover a saúde e reduzir o número de fumantes na capital.

Neste ano, as políticas públicas de combate ao fumo ganharam reforço com a instituição do Programa Nacional de Controle do Tabagismo (PNCT) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), por meio da Portaria nº 502, de 1º de junho de 2023, do Ministério da Saúde. A medida reforçou ainda o papel do Instituto Nacional de Câncer (Inca) no gerenciamento das ações de controle do tabaco no país.

Matérias Relacionadas

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidade

Últimas Notícias